Sobe para 160 número de mortos identificados em Brumadinho

Nove mortos ainda não foram identificados e 160 pessoas seguem desaparecidas

A tragédia causada pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, a 57 quilômetros de Belo Horizonte
A tragédia causada pelo rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, a 57 quilômetros de Belo Horizonte
Foto: Divulgação Corpo de Bombeiros de Minas Gerais

Subiu para 160 o total de óbitos identificados após o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG).

De acordo com balanço divulgado nesta segunda-feira (11), pelo

Corpo de Bombeiros

Militar de

Minas Gerais

, nove mortos ainda não foram identificados e 160 pessoas seguem desaparecidas – entre funcionários da

Vale

, terceirizados que prestavam serviços à mineradora e

membros da comunidade.

No 18º dia de buscas, as operações contam com um efetivo de 376 homens, incluindo 158 militares de Minas Gerais, 132 de outros estados e 63 da Força Nacional. Há também 22 voluntários que auxiliam as equipes. A tragédia deixou ainda 138 pessoas desabrigadas.

Os bombeiros continuam as buscas por vítimas na região de Brumadinho, onde a barragem da mineradora Vale, se rompeu, no dia 25 de janeiro, e um mar de lama atingiu casas, uma pousada, o refeitório da empre e outros locais, deixando mortos e desaparecidos.