Professor capixaba supera bullying vencendo concursos de beleza

Depois de superar complexos com o próprio corpo, o professor capixaba decidiu dar palestras para tratar do assunto e continuar competindo em concursos de beleza mesmo aos 34 anos para se desafiar, a cada evento, de uma forma diferente

Foto: Reprodução/Instagram @temir_costa

Temir Costa, de 34 anos, brinda o culto ao próprio corpo desde 2017, quando participou de seu primeiro concurso de beleza. Cuida do corpo, não falta à academia e fica sempre de olho na alimentação. Mas essa vontade toda de ter o shape admirado nasceu de uma decisão de enfrentar o próprio medo: sua aparência.

Até hoje, mesmo já tendo passado da idade que é considerada ideal para tentar vencer um concurso de beleza, o professor continua participando de competições do beauté e avalia que dessa forma quebra novas barreiras a cada passarela que enfrenta.

O atual professor de Artes da Escola Viva de São Mateus cresceu ouvindo que era magro demais e que tinha o corpo feio, o que acabou refletindo no seu comportamento até pouco tempo atrás. Em 2015, decidiu que era hora de fazer algo e, dois anos depois, estreou nas passarelas de um concurso de mister estadual no Espírito Santo. Hoje, dá palestras em vários locais do Brasil para falar da própria superação e inspirar outros jovens que passam por situações parecidas.

"Muita gente só vê o lado mais superficial dos concursos de beleza. Acham que é beleza só por beleza. E não é bem assim. Eu mesmo pensava dessa forma e quando decidi usar disso para superar um trauma vi que isso é o que menos importa", destaca. Segundo ele, o convite para participar do primeiro evento veio depois de uma sessão de fotos que o professor tirou em Vitória. "Eu já tinha voltado da minha graduação em Teatro, que fiz na Bahia, e fui chamado para umas fotos. Poucos meses depois entraram em contato comigo e me chamaram para representar Ecoporanga - minha cidade Natal - no Mister Internacional Espírito Santo", lembra.

Temir não ganhou de cara. Ficou em terceiro lugar e decidiu que aquilo não era para ele. Ainda assim, viu que tinha conseguido tirar proveito de toda a experiência e, meses depois, um segundo convite apareceu: "Eu comecei a postar mais no meu Instagram e um concurso de Porto Alegre me chamou para representar o Espírito Santo lá. Eu fui e ganhei. Virei Mister Brasil Turismo Mundial 2018", continua.

Mas, depois dessas participações, o professor ainda tomou um gostinho pessoal pelas competições e decidiu tentar o Mister Brasil Beleza Internacional, no fim de 2018, para concorrer ao reinado deste ano. "E consegui, é esse o título que carrego hoje. Agora, penso se vou ou não ao mundial, que neste ano acontece em setembro no Peru. Mas é um custo alto, então ainda estou vendo como será", adianta.

Foto: Reprodução/Instagram @temir_costa

PALESTRAS PARA JOVENS

Nesse meio tempo, o capixaba sabia que conseguiria trabalhos como modelo, o que naturalmente um título de mister consegue dar. No entanto, ele sentia que poderia fazer mais e, por esse motivo, começou a desenvolver palestras voltadas para jovens que sofrem bullying, como ele mesmo sofreu. "A escola que me convida eu vou, falo sobre a minha trajetória e tento mostrar que é só querer. Eu sou prova disso. E depois que eu palestro, geralmente, muitos adolescentes vêm falar comigo sobre o que estão passando. E frequentemente são situações muito parecidas às que eu vivi quando era mais novo", relata.

Falando em idade, Temir lembra: "E eu sei que eu não estou na idade ideal para participar de mister. Mas essa é até uma luta que eu travo hoje em dia". Aos 34 anos, um homem não é mais o mais o candidato ideal para um concurso de beleza masculina. "Quando chego ao concurso, só vejo jovens de 20, 22 anos, que é a idade em que mais bomba esse tipo de evento, naturalmente. Mas estou lidando muito bem com isso", comemora.