Delegado-geral da Polícia Civil reconhece fragilidade em delegacias

O delegado-geral garantiu que até o fim do ano haverá reforço na segurança

Fachada da DPCA
Fachada da DPCA
Foto: Marcos Fernandez | Arquivo

Diante das críticas do Sindicato dos Policiais Civis do Estado Espírito Santo (Sindipol/ES), de que não há segurança em unidades policiais como a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), o delegado-geral da Polícia Civil, Guilherme Daré, reconheceu a fragilidade. Ele garantiu que até o final do ano as delegacias terão câmeras de videomonitoramento.

Segundo o Sindipol, no último arrombamento na DPCA, em 2015, os criminosos quebraram o alarme da unidade, que até hoje não foi substituído ou consertado. De acordo com Daré, a crise econômica dos últimos anos não permitiu recursos para investimentos na polícia.

“Temos delegacias com plantão 24 horas e equipes lá dentro tomando conta da delegacia; algumas que fecham, mas possuem videomonitoramento; e aquelas que não possuem câmeras. As que não possuem são porque estão passando por reformas ou porque ainda não conseguimos adquirir o equipamento por falta de verba”, disse Daré.

Mas o delegado-geral garantiu que até o fim do ano haverá reforço na segurança.

“Do ano passado pra cá já estamos fazendo alguns investimentos que serão pontuados nas necessidades maior. Hoje já há um processo em andamento e no fim desse processo vamos poder comprar as câmeras”.