Polícia recuperou armas de delegacia após pai denunciar o filho

Gleidson é apontado como um dos chefes do tráfico do Morro do Romão

Fachada da DPCA
Fachada da DPCA
Foto: Marcos Fernandez | Arquivo

As duas submetralhadoras que foram furtadas na Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) no último fim de semana foram recuperadas após a denúncia do pai de um dos acusados de participação do crime. 

Segundo o Delegado-geral da Polícia Civil, Guilherme Daré, ao saber que o filho Gleidson Felipe da Silva Barcelos Gomes, de 20 anos, havia participado do furto, o pai compareceu à Delegacia Especializada de Segurança Patrimonial na manhã na última terça-feira (10). Ele contou que um amigo do acusado foi até a casa dele, entregou uma das submetralhadoras e falou que o filho tinha pedido para guardar.

Os policias desconfiaram que o suspeito estaria com a outra arma, e pediram para que o pai entrasse em contato com o filho, para que ele entregasse a submetralhadora. Ao pai, Gleidson disse que a arma estava na casa do amigo, Edilan Figueiredo Pinheiro, de 23 anos. Os policiais foram até ao local e recuperaram a segunda arma.

Gleidson é apontado como um dos chefes do tráfico do Morro do Romão. Junto com dois comparsas, ele invadiu a delegacia e roubou as armas. Depois do crime, Gleidson foi para o bairro Novo Horizonte, na Serra, e ficou na casa de Edilan.

De acordo com a polícia, Edilan possui passagens por roubo e porte ilegal de arma. Ele estava preso e foi solto no mês passado. A polícia contou que a participação do jovem no crime foi apenas para guardar a submetralhadora.

Com eles, além das duas submetralhadoras, foram encontradas 42 munições .40, seis carregadores, 500 gramas de maconha, 416 buchas de maconha. Outros objetos que foram furtados na DPCA — um monitor e uma câmera também foram recuperadas.

Os dois foram autuados por tráfico, associação ao tráfico, associação criminosa, porte ilegal de arma e furto. Outros dois criminosos continuam sendo procurados pela polícia.