Servidor do Detran é preso com plantações de supermaconha em Vila Velha

O acusado Rafael Régis Pereira, de 31 anos, cultivava as plantas de skank, uma maconha mais potencializada, em um apartamento em Itapoã e em Ponta da Fruta; ele foi detido e será autuado por tráfico de drogas e associação ao tráfico

Rafael Régis Pereira, de 31 anos, foi detido
Rafael Régis Pereira, de 31 anos, foi detido
Foto: Divulgação | Polícia Civil

Cerca de 200 pés de maconha, do tipo skunk, foram apreendidos durante uma operação que aconteceu na manhã desta terça-feira (8), em Ponta da Fruta e Itapoã, ambos em Vila Velha.

De acordo com o delegado adjunto do Departamento Especializado de Narcóticos (Denarc), Diego Platini, o servidor público concursado do Detran Rafael Régis Pereira, de 31 anos, era o responsável pelo plantio e cultivo das plantas.

Por 15 dias, a polícia monitorou o suspeito e o deteve quando saía de casa de carro, em um apartamento na Avenida Gil Veloso, em Itapoã. O acusado levou a polícia até o imóvel e, no local, foi encontrada uma estufa, com dezoito pés de skunk, que é uma maconha mais potencializada. 

 

"Policiais antigos falaram para a gente que nunca viram tantos pés de maconha em um apartamento. Esse apartamento fica em uma região bem localizada, em Itapoã. Além de ter essa quantidade expressiva no apartamento, também tinha todo um aparato, que funcionava para o condicionamento, o cultivo e a refrigeração do cômodo", disse Plantini. 

Pés de maconha foram apreendidas
Pés de maconha foram apreendidas
Foto: Carlos Alberto Silva | GZ

VÍDEO

APREENSÕES EM PONTA DA FRUTA

Durante as investigações, o Denarc identificou também que Rafael cultivava as drogas em uma casa alugada, em Ponta da Fruta, também em Vila Velha. No local, foram encontradas mais de 150 pés de skunk, em dois cômodos, também com todos os aparatos para o cultivo da planta — como refrigeração, climatização e tubulação.

"Como tinha uma investigação prévia, a gente se deslocou, porque ele não queria falar com a gente, mas sabia que ele tinha um outro imóvel que ele usava para o plantio", explicou o delegado adjunto.  

À Polícia, o suspeito disse que vendia as drogas em festas, mas depois mudou a versão e afirmou que era para o consumo próprio. Pela quantidade e o valor da droga, que é de R$ 50 por apenas um grama, a polícia acredita que os entorpecentes não seriam para o consumo próprio.

"Até mesmo pela informação dele preliminar, é que ele além de fazer o cultivo e toda essa logística da climatização do cômodo, ele também comercializava", contou o delegado adjunto. 

No Estado, Rafael cultivava a droga havia seis meses. Para a polícia, Rafael aprendeu a cultivar a planta na Holanda, já que morou no país.

"O que chama atenção foi ele ter confessado aos policiais civis que ele trouxe essa substância entorpecente de outro país. Ele já morou na Inglaterra, ele já morou na Holanda, e trouxe pra cá não só a substância entorpecente potencializada, mas também essa expertise em relação ao desenvolvimento e ao cultivo do material", finalizou. 

Rafael é assistente técnico de trânsito do Departamento Estadual de Trânsito do Espírito Santo (Detran-ES) e trabalha no Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran). Ele será autuado por tráfico de drogas e associação ao tráfico. 

Por meio de nota, o Detran informou que o caso já está sob investigação da Polícia Civil e destacou que não compactua com qualquer atividade ilícita e que a Corregedoria do órgão adotará as medidas cabíveis.

Maconha apreendida em Vila Velha
Maconha apreendida em Vila Velha
Foto: Divulgação | Polícia Civil