Lavrador que matou a esposa se apresenta à polícia em Atílio Vivácqua

O homem, de 52 anos, que não teve o nome revelado, não ficou detido pois não havia mandado de prisão em aberto

Nildilane deixa quatro filhos com idades entre um e nove anos
Nildilane deixa quatro filhos com idades entre um e nove anos
Foto: Reprodução Redes Sociais

Um lavrador, de 52 anos, suspeito de assassinar a companheira Nildilane Pereira Luiz, na última quarta-feira (06), em Atílio Vivácqua, se apresentou à Polícia Civil acompanhado de um advogado. O acusado, que confessou o crime, disse estar arrependido, mas não ficou detido, pois o mandado de prisão ainda não foi expedido pela Justiça.

O crime aconteceu dentro da residência do casal na localidade de Flecheiras, zona rural de Atílio Vivácqua, no Sul do Estado. De acordo com a Polícia Civil, o lavrador, que não teve o nome divulgado, procurou a delegacia na última sexta-feira (08). Ele disse que o o crime ocorreu após brigas entre o casal, mas não esclareceu o motivo das discussões. A Polícia Civil encaminhou à Justiça o pedido de prisão do lavrador.

RELEMBRE O CASO

A dona de casa Nildilane Pereira Luiz de 26 anos foi assassinada pelo companheiro, um lavrador de 52 anos, na madrugada do dia seis de fevereiro na localidade de Flecheiras, zona rural de Atílio Vivácqua, no Sul do Estado. Familiares contaram que o suspeito já havia tentado matá-la em outra ocasião, mas ela não chegou a registrar o fato na polícia.

O assassinato aconteceu na cama do casal por volta de 1h da madrugada. Ela nem chegou a ser socorrida. A vítima estava casada há mais de dez anos. Nildilane deixou quatro filhos, de idades entre um e nove anos, que continuam na casa do avô materno.

A Polícia Civil informou que a vítima não chegou a formalizar nenhuma denúncia em relação à violência doméstica/tentativa de homicídio. E que o suspeito fugiu em uma motocicleta até a casa de um irmão, em Flecheiras, onde abandonou a motocicleta e fugiu, não se sabe como. Segundo a polícia, ele confessou o crime para o irmão.