Bandido armado rouba celular de passageiro em terminal na Serra

O estudante voltava da escola esperava o coletivo para ir para casa, em Jardim Limoeiro, na Serra

Fila no Terminal de Carapina
Fila no Terminal de Carapina
Foto: CBN Vitória / Arquivo

"Você tem medo de morrer?" Dieckson Dias de Souza, de 16 anos, chegou a responder que não, para minutos depois ter o celular roubado dentro do terminal de Carapina, na Serra. O assalto aconteceu no começo da tarde desta quarta-feira (13), quando ele aguardava na fila para entrar no ônibus. Ninguém viu nada, não houve qualquer tipo de socorro.

O estudante voltava da escola, em Cariacica, e esperava o coletivo para ir para casa, em Jardim Limoeiro, na Serra, quando foi abordado por um bandido armado. O criminoso estava acompanhado de uma mulher. Os dois fugiram a pé, antes que os seguranças do terminal percebessem o roubo.

"Eu estava na fila aguardando para entrar no ônibus, com o celular no bolso da frente da minha bermuda, quando chegou um casal e ficou atrás de mim na fila. O cara perguntou em qual escola eu estudava, e na sequência perguntou se eu tinha medo de morrer. Respondi que não, que eu tinha fé. Ele me mostrou a arma na cintura e pediu meu celular", contou o estudante.

O assalto aconteceu por volta das 13 horas, mas a ação foi tão rápida que Dieckson afirma que os outros passageiros na fila não chegaram a perceber o que estava acontecendo.

"Algumas pessoas já tinha entrado no ônibus, eu estava na fila. Fiquei com medo, não reagi, entreguei o aparelho e ele fugiu correndo junto com a namorada. Depois entre no ônibus. Ninguém viu, ninguém percebeu", diz.

O celular roubado tinha apenas um mês de uso e ainda não foi completamente pago. Nesta quinta-feira (14) de manhã, Dieckson voltou a circular pelo terminal de Carapina - como parte do trajeto para ir a escola - sem celular e acompanhado da insegurança.

"Ano passado, três homens entraram no ônibus em que eu estava e assaltaram quase todo mundo. Consegui esconder meu celular e eles não levaram nada. Dessa vez tive medo, vi que a arma era de verdade, não tinha o fazer. Tinha acabado de comprar o celular, dividi em quatro vezes, paguei a primeira parcela agora. Voltei ao terminal hoje de manhã e tive medo de ficar ali", relata.

O QUE DIZ A CETURB

Sobre o assalto na tarde dessa quarta-feira (13), no Terminal de Carapina, na Serra, a Ceturb-ES informa que os terminais contam com segurança patrimonial e o policiamento é feito normalmente pela Polícia Militar, que, de forma geral, tem atuado fortemente na diminuição dos índices de criminalidade.

Durante o dia, a segurança no terminal é feita por um vigilante e à noite por dois homens. Embora o número de pessoas que circulam pelo terminal seja de cerca de 70 mil usuários/dia, ocorrências de crimes não são comuns.

Em casos de assalto, é importante que o usuário não reaja e que faça a comunicação ao vigilante, que acionará a Polícia Militar. Os terminais contam com câmeras de segurança, que podem ajudar nas investigações da Polícia Civil sobre os eventuais casos. Mas, é importante a lavratura dos boletins de ocorrência. Só assim é possível traçar as estratégias de combate ao crime.

Para evitar que situações como essa se repitam, a Ceturb-ES trabalha, juntamente com a Polícia Militar, na formulação de estratégias de combate à criminalidade, no entanto, o usuário também deve colaborar fazendo os boletins de ocorrência e evitando comportamento que atraia a atenção dos meliantes.