Pai é procurado pela polícia após fugir com filho de 10 meses no ES

Suspeito disse que não se conformaria de ver o filho "às vezes"

Foto: Fernando Madeira

Desde a última quinta-feira (18), uma dona de casa de 27 anos, de Santa Maria de Jetibá, Região Serrana do Estado, vive em busca de pistas que levem ao paradeiro do filho, de apenas 10 meses. O pai da criança, de 38 anos, e ex-companheiro da mãe, raptou a criança e fugiu para São Paulo.

O caso foi registrado na delegacia do município na última quinta. Depois de um relacionamento conturbado, a mãe possuía uma medida protetiva contra o ex-companheiro, impedindo que ele se aproximasse dela. Porém, durante a manhã, como era costume, o pai visitou a criança, sob os cuidados da avó materna do menino, do lado de fora da casa.


O ex-companheiro aproveitou o momento, acionou um táxi e viajou com o menino até a rodoviária de Vitória e de lá, ele seguiu, segundo informações de familiares dele, para São Paulo. Ele deixou um bilhete para a mãe da criança dizendo que não se conformaria de ver o filho “às vezes”.

“Não levou as roupas dele. Só uma mamadeira vazia e a certidão do menino. Sábado pela manhã, entrou em contato e pediu que eu tirasse tudo contra ele na Justiça e disse não sabia quando iria voltar”, revela a mãe.

Um mandado de prisão temporária foi expedido contra o pai da criança e até um pedido de busca e apreensão no suposto endereço em que estaria, na Zona Leste de São Paulo, onde a mãe do suspeito mora.

A mãe da criança foi até São Paulo e afirma que chegou a ver o filho por instantes, porém, o mandado teria de ser cumprido com a presença do conselho tutelar, que não compareceu. O pai da criança é considerado foragido e a Polícia Civil do Espírito Santo investiga o caso. Desde então, a mãe não teve mais informações da criança, do ex-companheiro ou de seus familiares em São Paulo.

“Ele sumiu. Se escondeu e não sei se saiu de São Paulo, não sei achar ele mais. Não sei nem o que pensar e falar. Estou há seis dias sem dormir, sem comer direito. Não sei como meu filho está, ele mamava no peito”, revela aflita a mãe, que pediu na Justiça a quebra de sigilo telefônico do ex-companheiro.

INVESTIGAÇÃO

Segundo a Polícia Civil, o caso segue sob investigação da delegacia de Santa Maria de Jetibá, sob sigilo. O suspeito, que já possui um mandado de prisão em aberto, continua sendo procurado por meio de diversas diligências.

“Não temos atualização do caso. Sabemos que esteve em São Paulo, mas que já teria saído de lá. Estamos em busca de pistas. Mas, por enquanto, não temos informações de seu paredeiro”, afirmou o delegado Fabrício Lucindo.

A polícia reforçou que continuará as buscas sem prazo determinado. Denúncias que auxiliem no trabalho da polícia e contribuam para identificação de suspeitos podem ser feitas por meio do Disque - Denúncia 181 ou pelo disquedenuncia181.es.gov.br, o sigilo e anonimato são garantidos. No site, é possível a pessoa anexar imagens e vídeos de ações criminosas.