Fisioterapeuta morta em Ibatiba foi vítima de assalto, diz polícia

Segundo o delegado no comando das investigações, Jéssica de Assis Marques, de 23 anos, teria continuado pilotando a moto, mesmo baleada; dois suspeitos do crime foram identificados

A Polícia Civil de Ibatiba fez buscas aos suspeitos que mataram a jovem fisioterapeuta Jéssica de Assis Marques, de 23 anos, encontrada morta na manhã desta segunda-feira (17), no interior de Ibatiba, Região Serrana do Estado. Porém, até o momento, ninguém foi localizado.

Jéssica de Assis Marques morava no interior de Ibatiba
Jéssica de Assis Marques morava no interior de Ibatiba
Foto: Reprodução

A jovem estava desaparecida desde a noite deste domingo. O corpo foi localizado nesta manhã, ao lado da moto da jovem. Segundo o delegado Cláudio Rodrigues, os autores foram identificados.

“A polícia identificou os possíveis autores. Chegamos a cercar a casa deles, mas teriam sido apoiados pelos pais e um fugiu em uma moto”, conta o delegado.

O delegado informou ainda que a vítima foi alvejada do lado esquerdo e um dos tiros acertou o coração. “Ela ainda assim não cedeu e seguiu com a moto e, depois, possivelmente, perdeu o controle e caiu em uma matagal. Diante disso, os autores teriam desistido do crime”, revela Cláudio Rodrigues.

A moto e pertences foram encontrados com a vítima. O caso segue sob investigação da Polícia Civil. O nome dos suspeitos ainda não foi revelado pela polícia.

Jéssica estava desaparecida desde a noite deste domingo (16). Segundo familiares, ela passou o domingo em Vitória e chegou de ônibus em Ibatiba por volta de 22h. Ligou para a mãe e falou que estava indo para casa onde mora, na localidade de Santa Maria de Cima, a oito quilômetros do centro de Ibatiba, aproximadamente.

A moto estava na garagem de um tio no bairro Boa Esperança. Ela seguiu sentido a BR 262, sentido Vitória, entrando na Serra da Sicupemba, mas não chegou em casa

Segundo informações de familiares, o corpo foi encontrado próximo da moto dela na comunidade de Santa Maria, bem perto da BR 262, na serra da Sicupemba. Os moradores da região onde o corpo dela foi encontrada disseram ter ouvido gritos e tiros à noite.

Jéssica de Assis Marques morava no interior de Ibatiba
Jéssica de Assis Marques morava no interior de Ibatiba
Foto: Reprodução

A estrada era um trajeto comum para Jéssica, mas sempre foi considerado um local perigoso. O advogado e tio da vítima, Luiz Cândito, diz que a família está abalada e pede por Justiça. “Isso é um local bem crítico. Já aconteceram outros crimes aqui. Ontem, tiraram a vida de uma criança, uma recém formada, exercendo sua profissão. Confesso que estou passando mal com isso. Peço a polícia que busque a verdade e esclareça o crime, se foi de mando, se foi latrocínio. Vou buscar a verdade e vou ajudar a investigar”, disse o tio da vítima. 

O corpo da jovem foi encaminhado ao Serviço Médico Legal de Cachoeiro de Itapemirim.

Comoção

Jéssica era fisioterapeuta da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de Ibatiba. O local não funcionou nesta segunda e por luto, também não abrirá amanhã. O presidente da unidade José Maria Belo conta que era o primeiro emprego da jovem, que estava feliz com a oportunidade. “Ela se formou há pouco tempo e era o primeiro emprego dela. Estava desenvolvendo um trabalho muito bom. É uma perda lastimável. Essa menina era um ouro, uma pessoa muito alegre e esforçada”, revela Belo.

O presidente da Apae de Ibatiba também conta que funcionários começaram a mobilização para encontrar Jéssica quando a família entrou em contato com a polícia. Jéssica era fisioterapeuta desde janeiro de 2018.

O velório ocorre nesta segunda-feira na localidade de Santa Maria de Cima, na casa da família de Gésio Marques, pai de Jéssica. O sepultamento será no cemitério municipal às 16h desta terça-feira (18).