Polícia prende casal acusado de tentar matar inspetor penitenciário no ES

Na ocasião, a vítima foi baleada e os criminosos ainda atiraram contra policiais militares.

Polícia prende casal acusado de tentar matar inspetor penitenciário
Polícia prende casal acusado de tentar matar inspetor penitenciário
Foto: Polícia Civil

A Polícia Civil prendeu um casal acusado de tentar matar um inspetor penitenciário durante uma tentativa de assalto em Vale Encantado, Vila Velha, no dia 14 de agosto deste ano. Na ocasião, a vítima foi baleada e os criminosos ainda atiraram contra policiais militares. Pâmela Loureiro, de 25 anos, e José Lucas Pereira, de 24, foram detidos na Zona Rural de Retiro do Congo, em Vila Velha. A polícia tenta localizar agora um terceiro suspeito. Veja o vídeo abaixo. 

O CRIME 

De acordo com informações do Sindicato dos Inspetores (Sindaspes), o funcionário público estava no carro dele com a namorada quando foi rendido por um casal armado com uma pistola e um revólver. 

Segundo o Sindicato, ao anunciar o assalto, o casal percebeu que o inspetor estava armado e a dupla atirou contra o veículo. O disparo atingiu o braço direito do inspetor. A namorada dele não ficou ferida. Os bandidos fugiram correndo em direção ao veículo Corsa, de cor prata, que estava próximo ao local do crime.

Quando estavam entrando no veículo, os criminosos se depararam com uma viatura da Polícia Militar. A dupla de assaltantes atirou na direção dos policiais e os militares revidaram. O veículo em que eles estavam foi atingido e os bandidos fugiram correndo em direção a um matagal. Eles não foram localizados.

> Trio é preso em flagrante em desmanche de carro roubado no ES

A vítima foi socorrida e levada para o Hospital Antônio Bezerra de Farias, no mesmo município e o carro que seria usado para dar fuga aos ladrões foi apreendido.

A INVESTIGAÇÃO 

O delegado Gianno Trindade, titular da Delegacia de Segurança Patrimonial, contou que, após a polícia recuperar o carro abandonado pelos criminosos, notou que havia dois celulares dentro. Os aparelhos eram de Pâmela Loureiro, de 25 anos, e José Lucas Pereira, de 24, e mostravam conversas dos dois com Kaio Vinicius Zuccon, 29, que está foragido. 

"Tivemos autorização da Justiça para acesso aos celulares e percebemos que eles falavam que estavam sem dinheiro e precisavam fazer 'buscas'. Um deles sugere o roubo de um carro. No dia 14, no celular da Pâmela, os vimos combinando o roubo e ela pergunta: 'só vamos nós três?'. Estamos investigando todos os diálogos e algumas conversas sugerem uma organização criminosa de roubo de carros", afirma. 

O delegado completa que em um dos diálogos mostra que o trio pretendia também assaltar uma farmácia. Ele contou que os criminosos faziam do roubo uma forma de viver e sempre que precisavam de dinheiro praticavam assaltos.

> Bandidos roubam carro na Serra e ligam para dono para pedir resgate

A PRISÃO

Na última quarta-feira (11) a Polícia Civil fez uma operação a Zona Rural de Retiro do Congo, em Vila Velha, onde Pâmela mora. Ela foi detida em casa. Já José Lucas foi localizado escondido em um sítio da região, onde os pais trabalham como caseiros. Os policiais também foram na residência de Kaio, mas ele não foi localizado. O suspeito possui passagem por roubo e porte de arma.

"Ontem fizemos uma operação pela Patrimonial com intuito de prender os três autores da tentativa de latrocínio contra inspetor penitenciário e a tentativa de homicídio contra os PMs. Conseguimos êxito na captura de dois e um está foragido. O início da investigação partiu do fato de que o Kaio se utiliza de um veículo que alugou de uma senhora com pretexto de ser motorista de aplicativos. Mas, na verdade, ele usava o veículo para praticar roubos. A investigação iniciou contra ele a polícia chegou em outros autores", explicou.

Kaio Vinicius Zuccon, 29, é considerado foragido pela polícia
Kaio Vinicius Zuccon, 29, é considerado foragido pela polícia
Foto: Polícia Civil

Ao serem detidos, Pâmela e José Lucas confessaram que faziam parte do trio que trocou tiros com o inspetor e os PMs. 

"Eles alegam que dispensaram a arma na fuga dos policiais. Um acusa o outro de ser dono da arma. A Pâmela confessa que estava no local, mas não sabia do roubo. Mas verificamos não ser verdade, pelo acesso ao diálogo por WhatsApp. Identificamos um quarto elemento nessas conversas, o que sugere ser uma associação criminosa", completou. 

> Troca de tiros entre PMs e clientes de bar termina em morte em Cariacica

A dupla foi autuada por tentativa de latrocínio contra o inspetor penitenciário e tentativa de duplo homicídio contra PMs. Depois, os dois foram encaminhados ao presídio. 

 

DEFESA SE PRONUNCIA

Em contato com a reportagem do Gazeta Online, o advogado de José Lucas Pereira, Carlos Eduardo Lyrio, disse, em nota, que o cliente em momento algum no depoimento dado à polícia afirmou que teria atirado contra a viatura policial e que também não atirou em nenhuma circunstância. Ainda segundo a defesa, da troca de tiros não possui procedência, sendo que o acusado, no depoimento prestado, sequer respondeu a esta pergunta.

Lyrio salientou ainda que José Lucas não portava arma. "Ao ser inquirido pelo delegado, o acusado jamais assumiu estar de posse de arma de fogo ou que tenha disparado contra qualquer pessoa. O delegado que o inquiriu não apresentou sequer a arma do suposto crime limitando-se a efetuar suposições e conjecturas", diz a nota do advogado.

Por fim, o advogado do acusado ainda questionou a qualidade das imagens divulgadas e afirmou que José Lucas e Pâmela Loureiro não são um casal. "O vídeo mostrando duas pessoas de costas no escuro não pode ser atribuído a Lucas e, aliás a qualquer pessoa, eis que não é possível identificação visual devido à baixa qualidade da imagem", finalizou.