Kefir: faz bem para você e para seu filho

Crianças também podem se beneficiar das "bactérias do bem". Veja como cultivar o kefir e como aproveitá-lo nas receitas

Data: 10/06/2019 - ES - Serra - Janaína Rodrigues, com seus filhos Davi, 5 anos e MIguel, 2 anos. Entrevistada sobre o benefício do Kefir - Editoria: Vida - Foto: Vitor Jubini GZ
Data: 10/06/2019 - ES - Serra - Janaína Rodrigues, com seus filhos Davi, 5 anos e MIguel, 2 anos. Entrevistada sobre o benefício do Kefir - Editoria: Vida - Foto: Vitor Jubini GZ
Foto: Vitor Jubini

Os irmãos Miguel, de 2 anos, e Davi, de 5, adoram iogurte. Só que no copo deles vai sempre um ingrediente especial: o kefir. O probiótico natural tem tempo que faz parte da rotina da família.

Sim, as crianças também podem ter contato com essas “bactérias do bem” desde cedo. Saiba que elas poderão contar com um aliado para manter o intestino em ordem e ficar livres de gripes e resfriados, alergias e outras doenças. Os benefícios, aliás, são variados e já foram comprovados em diversas pesquisas.

> "Estou há 3 anos sem resfriado", diz publicitária que consome kefir

Por isso, quem ainda não conhece o kefir deve pensar em fazer dele um alimento para o dia a dia. Já existem opções até nas prateleiras dos supermercados. Porém, a versão mais saudável e que ganha cada vez mais adeptos é a receita caseira mesmo da bebida fermentada. É só apostar na gentileza e você vai encontrar facilmente alguém disposto a doar uma mudinha de grãos.

Parece estranho - e até nojento - cultivar em casa uma colônia de micro-organismos. Mas tomando alguns cuidados simples, é possível manter o kefir sempre vivo. Ele poderá ser fermentado em leite, que é a forma mais tradicional, ou numa mistura de água com açúcar.

> Kefir: saiba como garantir o seu superalimento

“Tanto faz se é leite integral ou desnatado. Mas só não pode ser leite sem lactose, porque é ela que alimenta o kefir. Se for o de água, o mais indicado é usar um açúcar mascavo. Mas tem gente que usa rapadura, algum suco de frutas integral ou até água de côco”, explica a nutricionista Camila Gomes.

É preciso esperar, em média, 24 horas para essa fermentação se completar. Quanto mais tempo ele for deixado fermentando, mais ácido fica. Ele pode ser guardado na geladeira. No entanto, a dica é não deixar o kefir na mesma água ou leite por mais de três dias, ou os grãos podem morrer por falta de alimento.

Uso contínuo

“Quem nunca tomou, é melhor começar com doses menores, bebendo de 100 a 200 mililitros por dia, e ir observando os efeitos. O ideal fazer um uso contínuo para obter os benefícios”, diz ela.

Para as crianças, a recomendação é uma medida diária de 50 mililitros, o equivalente a um copinho desses de café ou a duas colheres de sopa.

Vai valer a pena. “O kefir atua melhorando a saúde intestinal, mantendo a flora em equilíbrio e aumentando a imunidade. Assim, o corpo fica menos vulnerável a infecções. E vale lembrar que faz tempo que a ciência discute que o intestino é o segundo cérebro. Por isso, podemos afirmar que ele vai atuar modulando vários processos e ajudando até na saúde mental, em tratamentos como contra a depressão”, destaca Camila.

Receita

Escolher a forma de preparação para o kefir é a parte mais divertida. Pode virar iogurte ou queijo, pode incorporar uma receita de pão ou bolo, por exemplo.

“Ele tem um sabor mais azedo. Lembra uma coalhada. Para melhorar a aceitação por crianças, muita gente mistura com frutas, com mel. Pode fazer cookies com aveia e kefir. Uma paciente me contou que fez gelatina para o filho usando kefir de suco de uva integral”, cita a nutricionista.

A mãe de Davi e Miguel diz que os meninos viraram fãs da bebida. “O Miguel consome desde que fez um aninho e gosta do kefir puro com geleia caseira e granola ou batido com fruta. Quando ele fica um pouco constipado, reforço as doses”, conta a autônoma e universitária Janaína Silva Rodrigues Torres, 38 anos.

Foi depois de observar os inúmeros benefícios desse alimento que Janaína descobriu que poderia até aumentar a renda da família com o kefir. “Eu trabalhava numa empresa privada e já consumia kefir em casa. Levava sempre um cream cheese com ervas ou um iogurte para lanchar com os colegas, e fazia o maior sucesso. Todo mundo pedia mais e virava cliente”.

O que é e como funciona o kefir

O que é?

Kefir é um probiótico caseiro. Trata-se de uma colônia natural de micro-organismos vivos, como lactobacilos, leveduras, proteínas e bactérias “do bem”

Como fazer

Encontre alguém que doe os grãos. Se não conhecer ninguém que tenha, pesquisa nas redes sociais, onde há centenas de grupos que se dedicam a isso. Uma vez adquirindo os grãos, pode-se ter kefir em casa sempre. Basta cultivá-los em algum meio

Kefir de leite

- É um dos meios mais comuns para cultivar os grãos. Pode ser leite integral, desnatado ou semidesnatado, tanto faz. O kefir se alimenta é da lactose do leite, ou seja, o açúcar do leite

- O que não funciona é usar apenas leite sem lactose ou leites vegetais (amêndoas, castanha, arroz...). Nesse caso, pode usar 50% de leite de vaca e 50% de leite vegetal

Kefir de água

Os grãos de kefir, quando cultivados em água, são pequenos, translúcidos ou de cor caramelo. Pode cultivá-lo em açúcar. Prefira o mascavo ou o orgânico. Não adianta usar mel. Outra forma de fermentação do kefir de água é com sucos integrais, como de uva, maçã, maracujá ou até a água de coco

Utensílios

Você deverá usar um recipiente de vidro para fermentar os grãos, um pano estilo voal ou gaze e uma peneira. Não manipule o kefir com material de metal, pois isso pode matá-lo. Use coador e colher de plástico ou inox

Fermentação

Deixe-o fermentar nesses meios por 24 horas. Depois, leve à geladeira por mais 24h, para uma segunda etapa de fermentação. Depois, é só coar e acrescentar mais leite ou água aos grãos

Mais dicas

Use o leite ou água na temperatura ambiente ou até gelados. Já a temperatura muito alta pode matar os grãos. Para a etapa de fermentação, pode manter o kefir em temperatura ambiente ou na geladeira. Lembrando que quanto mais alta a temperatura, mais rápido esse processo vai ocorrer

Como consumir

Para que seus benefícios sejam aproveitados por completo, o melhor é consumi-lo fresco. Pode usar como molho na salada ou bater com frutas. Mas é possível fazer receitas com o kefir, como de pão de queijo, gelatina, pães, sorvetes, bolos

Os benefícios

1 - Fortalece o sistema imunológico, deixando a pessoa menos exposta a infecções (herpes, infecção urinária, candidíase etc)

2 - Ajuda a desintoxicar o organismo por conta da presença de vitamina K

3 - É rico em proteínas, favorecendo a aceleração do metabolismo

4 - Tem baixo teor calórico: em 100 gramas, são apenas 37 calorias

5 - Regula a flora intestinal, ajudando quem sofre de problemas digestivos, constipação, reduzindo flatulência e inchaço

6 - Melhora pele, cabelos e unhas por causa da vitamina B

7 - Protege os ossos, por ser fonte de cálcio

8 - Combate alergias

9 - Reduz o mau colesterol

10 - Regula a pressão alta

Receitas

Gelatina de kefir de água

- Comece dissolvendo gelatina incolor em água fervente

- Depois, adicione o kefir de água fermentado em suco de uva integral

- Despeje em taças de vidro ou potes e leve à geladeira

Cream Cheese de ervas

- 250g de kefir dessorado (dessorar é retirar o soro do leite)

- 1/2 colher de sobremesa de azeite

- 1/2 colher de ervas finas

- sal a gosto

Bebida é aliada do coração

Reza a lenda que o kefir faz sucesso desde os tempos do profeta Maomé. Mas só nos últimos anos é que a ciência resolveu se dedicar a pesquisar mais sobre as vantagens desse superiogurte. Entre as descobertas mais recentes relaciona o consumo desse alimento probiótico e a saúde do coração.

Um estudo feito pela pesquisadora Mirian Almeida, da Universidade de Vila Velha (UVV), em conjunto com a Universidade de Auburn, nos Estados Unidos (EUA), apontou que o kefir ajuda a combater a hipertensão. “A gente sabe que várias doenças inflamatórias têm relação com a microbiota intestinal. O desequilíbrio dessa microbiota pode provocar a hipertensão em animais e em humanos”, afirma Mirian.

Segundo ela, na pesquisa, que foi feita com ratos, observou-se que aqueles que foram tratados com kefir apresentaram uma melhora na microbiota e estrutura intestinal, redução dos níveis de endotoxinas no sangue, redução de neuroinflamação e redução da pressão arterial.

“O estudo foi feito com o kefir de leite. Não podemos assegurar os benefícios no kefir de água. E não há nenhum iogurte industrializado que se compare ao kefir. O ideal é que a ingestão seja diária, de 100ml pelo menos”, ressalta ela.