Faseolamina: a substância que engana o corpo e ajuda a emagrecer

Ela atrapalha o organismo a absorver carboidratos

Foto: Shutterstock

Falou que é para emagrecer ou ajudar na dieta, a balança chega a tremer. Mas não é bem assim que tudo pode funcionar. Principalmente em se tratando de regimes, por mais que uma substância possa ajudar durante o árduo processo que é perder peso, nada é milagre. E esse é o caso da faseolamina, uma proteína que pode ser tomada em cápsulas, mas também é encontrada no feijão branco e em versão em farinha. Ultimamente, tem sido usada em dietas low carb, porque é esse componente que “engana” o organismo e atrapalha no processo de absorção de carboidratos.

De acordo com a nutricionista coordenadora de Nutrição do Meridional, Jamila Dassiê Meira, a substância pode ser usada – por determinado período de tempo – mas deve ser associada à dieta e não virar algo sumamente necessário. “A pessoa que está na low carb, por exemplo, já está consumindo menos carboidratos e mais gorduras, naturalmente, então a faseolamina vai acelerar a perda de peso, mas o paciente não deve usar o fitoterápico para ‘anular’ os efeitos e comer mais carboidratos”, explica.

A especialista destaca que além do feijão branco, a faseolamina também é altamente encontrada na farinha do feijão branco e, em casos de uso em dietas específicas, o melhor pode ser mesmo a cápsula. “O mercado está cheio de opções e o paciente pode tomar uma cápsula duas vezes ao dia cerca de meia hora antes da ingestão do carboidrato. A pílula deve ser ingerida com água e, nas lojas, é ofertada na versão de 500mg”, afirma.

ALÉM DA ESTÉTICA

A nutricionista especialista em terapia nutricional do São Bernardo Apart Hospital, Nayanne Fiorotti, no entanto, faz o alerta: a substância é proibida para gestantes e lactantes. E quem tem algum problema de glicose ou pressão precisa ingeri-la com um cuidado extra. “ Alguns dos efeitos adversos da faseolamina pode apresentar é uma ligeira diarreia, náuseas, dor de cabeça, inchaço abdominal ou gases. Como a substância reduz a glicemia, este composto deve ser evitada por indivíduos hipoglicemicos (que têm baixo nível de açúcar no sangue)”, diz.

Ainda assim, a proteína pode ser uma aliada da saúde, já que se usado sob controle médico e fora de dietas pode apresentar benefícios em tratamentos de outras doenças. “A faseolamina também possui aplicações além da dieta, sendo interessante usá-la quando a glicose está alta, ou seja, quando o paciente já apresenta um quadro de diabetes. A substância diminui a absorção da glicose melhorando seus níveis”, finaliza.

As especialistas consultadas pela reportagem não recomendam o uso da substância por mais do que 30 a 60 dias ininterruptamente. Depois desse período, a indicação é que o paciente busque ajuda médica para avaliação.

A FASEOLAMINA

Os benefícios

Pesquisas mostram que a faseolamina associada a dietas e exercícios físicos regulares consegue ajudar na perda de até dois quilos por semana. Na dosagem máxima (1 grama por dia) ela inibe a digestão e absorção de amido. O insumo ajuda a baixar a glicose, no funcionamento do intestino e também reduz concentrações de insulina no sangue.

Como tomar

A faseolamina não deve ser consumida em concentração superior à recomendada como máxima, que é de um grama por dia. Geralmente, a substância vem em cápsulas de 500mg que podem ser tomadas duas vezes por dia, 30 minutos antes das principais refeições. Em pó ou farinha, deve ser diluída em 200ml de água (2 colheres de sopa).

Cuidado!

É proibido exagerar na dose, afinal o excesso do ativo vai ser tóxico e a quantidade não influencia na eficácia do tratamento. Em superdosagem, pode provocar gases, estufamento, dores abdominais e até diarréia. Também pode provocar hipoglicemia e desmaios.